Escrito por Rodrigo Faustini

CEO wehandle

Publicado em 24/08/2020 Tempo: 3 min

Momentos de crises, como o que estamos vivenciando, impactam intensamente no cenário macro e micro econômicos, o que reflete diretamente nas empresas dos mais diversos tamanhos e seguimentos. Esse abalo pode ter variadas extensões dependendo da capacidade de resposta e o gerenciamento de crise que cada companhia adota.

A inabilidade do gerenciamento de crises pode provocar a descontinuidade de operações ou tomadas de decisão que comprometam a integridade financeira e ética das empresas. Assim, é fácil perceber que empresas prestadoras de serviço, como qualquer outra, pode ter comprometimentos oriundos desse momento de crise.

Isso, leva aos tomadores de serviços uma ampliação de riscos que esses terceiros podem trazer para suas operações e reputação. Por isso, as empresas que possuem relações com terceiros para serviços críticos deveriam adotar medidas imediatas de monitoramento e proteções de seus negócios com o objetivo de reduzir os devidos impactos.

Por isso, vou retratar aqui dois dos principais riscos da má gestão de terceiros durante momentos de crises, seus efeitos e medidas de monitoramento necessárias:

Risco financeiro

A falta de disponibilidade financeira e comprometimento do fluxo de caixa pode provocar impactos diretos como descontinuidade do negócio ou falta de pagamento de obrigações trabalhistas ou salários de colaboradores. Assim, perguntas sobre: a capacidade de pagamento, nível de dependência e alteração na qualidade do serviço provido devem ser exaustivamente respondidas.

Por isso, é imprescindível a identificação dos prestadores críticos. Ora estabelecidos, é necessário que haja a revisão e acompanhamento frequente do plano de gerenciamento de crise por eles estabelecidos.

Monitore a capacidade de execução de pagamentos; Estabeleça comunicação aberta com o fornecedor sobre o atendimento de outros clientes e o nível de dependência sobre os vencimentos pagos por sua empresa.

Faça o acompanhamento mais próximo através de medições de SLA - Service Level Agreement ou outro KPI - Key Performance Indicator de satisfação dos usuários do serviço para verificar desvios provocados por reduções de mão de obra ou qualidade da execução.

Risco de subcontratação

Uma vez estabelecido cortes de pessoal e redução de cargas horárias em planos de gerenciamento de riscos, o que por certo ajuda mitigar os riscos financeiros, pode provocar outros efeitos para que haja a manutenção dos níveis de SLA. O principal efeito é aumento da subcontratação ou quarteirização dos serviços.

A falta de monitoramento desse processo pode trazer riscos trabalhistas ou ainda de interrupção das atividades, pois a empresa principal tomadora de serviços perde ainda mais a capacidade de enxergar os mesmo níveis de deficiência ou dependência dessas empresas quarteirizadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comece agora a vender mais para os seus cliente!

Por isso, é fundamental que as empresas clientes conheçam a dependência que seus fornecedores têm de seus terceiros. Assim, é obrigatório a revisão dos contratos identificando os envolvidos e atualização por cada prestador sobre seus terceirizados em número, tipo e graus de dependência. Assim, deve se estabelecer uma medição de risco conforme o número de subcontratações e criticidade de atividades.

É fato que existem diversos outros riscos relacionados à má gestão de terceiros durante momentos de crises e que o tratamento do assunto é passível de mais profundidade. Assim, se quiserem saber mais sobre um determinado assunto ou sobre outros riscos relacionados à crise e seus efeitos, deixem seus comentários e perguntas.

wehandle© 2020

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon